Cookies nos ajudam a fornecer o nosso serviço. Ao usar esse site, você concorda com o uso de cookies. Nós não armazenamos nenhuma informação pessoal. Saiba mais.

Imprensa / Histórias de aplicações de produtos / Geração própria de nitrogênio aumenta produtividade e sustentabilidade na Singer do Brasil

Geração própria de nitrogênio aumenta produtividade e sustentabilidade na Singer do Brasil

2012-12-19

A Singer do Brasil foi inaugurada em 1955, na cidade de Campinas, para produção de máquinas de costura e agulhas e, em 1968, a produção de agulhas foi transferida para Indaiatuba. Atualmente é líder de mercado na linha de Agulhas Domésticas, além da produção de Agulhas Industriais para atender tanto o mercado local como exportação.

Atlas Copco Brasil - Singer compressores de ar GX
A Singer confia na qualidade do processo de tratamento térmico das agulhas, realizado em Indaiatuba, e investe continuamente para aumentar sua produtividade. Recentemente, uma nova tecnologia foi implementada, permitindo que o nitrogênio usado no processo seja produzido no próprio local de utilização. Esse gás é um componente essencial ao processo de têmpera - operação de tratamento térmico em que as agulhas de aço carbono passam por um forno a uma temperatura de 850°C.

“É essencial manter a Atmosfera Controlada do forno de têmpera com uma pressão positiva (maior que o ambiente externo) para evitar corrosão das peças que estão sendo tratadas, além da qualidade no nitrogênio utilizado para formação dessa atmosfera” – explica Reginaldo Fernandes, Supervisor de Produção da Singer.

Reginaldo participou ativamente da implementação do gerador de nitrogênio para que a Singer não precisasse mais comprar nitrogênio líquido. Com isso, a fábrica eliminou toda a logística de transporte e armazenagem do nitrogênio nos tanques, o que também tem um impacto muito positivo no meio ambiente. A produção no local de nitrogênio pelo gerador é feita em um processo de duas etapas: adsorção e regeneração. Na adsorção, o ar pressurizado passa através de uma peneira molecular de carbono (CMS). Ao pressurizar o reservatório desta forma, as moléculas de oxigênio são preferencialmente adsorvidas pelo CMS, ao mesmo tempo em que as moléculas de nitrogênio passam, graças ao seu tamanho molecular diferente. A peneira continua a adsorver oxigênio até que seja alcançado um ponto de saturação. Na regeneração, o fluxo de ar de entrada é cortado e o gás consegue sair do reservatório a baixa pressão. Duas torres ligadas trabalham em conjunto para produzir um fluxo contínuo de nitrogênio em estado gasoso. Deste modo, a Singer tem nitrogênio à disposição sempre no momento imediato em que precisar.

Geradores de nitrogênio na Singer

Atlas Copco Brasil - Singer

À esq. Cassio Martins, vendedor Atlas Copco e à dir. Eng. Reginaldo Fernandes, Supervisor de Produção Singer


Usuária de sistemas de ar comprimido da Atlas Copco há mais de 25 anos, a Singer optou por implementar os geradores de nitrogênio da mesma marca. Além da confiabilidade construída ao longo do tempo, outro fator que motivou a escolha de uma solução da Atlas Copco foi a garantia de um grau de pureza maior que 99,99% no gás.

“De fato, a qualidade das agulhas temperadas melhorou consideravelmente com relação ao acabamento, e isso está diretamente relacionado à pureza do gás” – comenta Reginaldo.

Para alimentar o gerador de nitrogênio Atlas Copco modelo NG27, há um compressor de ar modelo GX11, de 15 HP, com sistema de filtragem e secagem para garantir a qualidade do ar comprimido. Afinal, é essencial que o ar de entrada no gerador de nitrogênio seja isento de contaminantes.

A busca da qualidade e produtividade pela Singer não para nunca. A próxima tecnologia, em vias de implementação, é a dos compressores de ar com acionamento de velocidade variável (também conhecida como VSD – Variable Speed Drive). A Singer pretende utilizar os compressores de ar VSD da Atlas Copco em todos seus sistemas de ar comprimido de modo a reduzir o consumo de energia elétrica. Com esta tecnologia, o compressor de ar, ao invés de funcionar de modo carga/alívio, varia sua velocidade para acompanhar o nível de demanda de ar na rede. Racionalizando o consumo de energia, é possível chegar a economias de até 35%.
“Além de toda competitividade e produtividade que estas soluções agregam, ficamos muito satisfeitos em também poder somar à sustentabilidade, utilizando melhor os recursos naturais com o emprego de tecnologia de ponta na fabricação de nossas agulhas” – finaliza Reginaldo Fernandes.

Industrial Air é uma divisão da área de negócios Compressor Technique da Atlas Copco que desenvolve, fabrica e comercializa compressores de ar e gás com ou sem injeção de óleo, bombas de vácuo, geradores a gás, soluções de tratamento de ar e monitoramento e controles para compressores sob diversas marcas. Além de atender a uma grande variedade de setores, também trabalha com soluções dedicadas para clientes dos setores da marinha, ferrovias e gás e petróleo, concentrada em aumentar ainda mais a produtividade dos clientes. A sede e o principal centro de produção estão localizados na Antuérpia, na Bélgica.